Arquidiocese de Uberaba divulga projetos atendidos pelo FAS e FNS

Atualizado: Mai 10


O Fundo Arquidiocesano da Solidariedade (FAS) é o órgão da Arquidiocese de Uberaba encarregado de incentivar a coleta da solidariedade realizada no Domingo de Ramos e aplicar 60% do valor da mesma em projetos sociais no território arquidiocesano, distribuídos de forma igualitária entre as Foranias. Os outros 40% são encaminhados à CNBB, são administrados pelo Fundo Nacional da Solidariedade (FNS) e financiam projetos em todo o Brasil, podendo ser solicitados pela internet no endereço: <www.fns.cnbb.org.br>


O FAS é dirigido pelo Conselho gestor arquidiocesano, que é composto pelo Arcebispo Metropolitano, Vigário Geral, Ecônomo, Assessor das Pastorais Sociais, Vigários Forâneos, representante da Cáritas Arquidiocesana e secretária, totalizando o número de 16 integrantes.


O FAS seleciona projetos que se identifiquem com a Campanha da Fraternidade (CF) do ano corrente em seus objetivos geral e específicos e que desempenhem suas ações em concordância com a proposta da CF, que poderá ser: um único projeto em todo território Arquidiocesano, com execução e monitoramento pela coordenação de cada Forania ou projetos distintos de acordo com a realidade de cada local. Este formato vai depender do resultado do estudo do texto base da CF, confrontado com cada realidade, sendo analisado, apresentado e julgado pelo Conselho Gestor. São objetivos permanentes da campanha da fraternidade:


· Despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, comprometendo em particular os cristãos na busca do bem comum;

· Educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor, exigência central do Evangelho;

· Renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja na evangelização, na promoção humana, em vista de uma sociedade justa e solidária (todos devem evangelizar e todos devem sustentar a ação evangelizadora da Igreja).


O processo de avaliação será realizado pelo Conselho Gestor com os projetos inscritos que estiverem em conformidade com o edital publicado pela Arquidiocese.

O Conselho Gestor avaliará tecnicamente os projetos inscritos, pontuando-os conforme os seguintes critérios: afinidade, viabilidade, sustentabilidade, impacto social, articulação, contrapartida, visibilidade, participação.


Os critérios gerais permanentes deverão ser elaborados pela Comissão Diocesana de Solidariedade, sempre em coerência com o espírito e as finalidades do Fundo Diocesano de Solidariedade. Devem também ter por base alguns princípios gerais. São eles:


Transparência - Cabe aos Fundos assegurar transparência tanto na coleta quanto na aplicação dos recursos advindos do “gesto concreto”.


Autonomia - Tais recursos devem ser coletados e aplicados sob a ótica da Caridade Libertadora, portanto, supõem ações de apoio que promovam a autonomia coletiva dos grupos participantes.


Participação - A autonomia dos grupos atingidos por situações de exclusão social é resultado de um processo de participação e organização de sua caminhada como parte do povo de Deus.


Partilha - A coleta e sua destinação, assim como nos Atos dos Apóstolos, quando tudo era distribuído entre a comunidade não havendo “necessitados”, têm por objetivo perseguir esse ideal de solidariedade. Não se trata de “doação”, mas de “partilha”.


Solidariedade - Esta é a principal forma de retorno do apoio dado. Os grupos e comunidades apoiadas também se comprometem a compartilhar sua experiência solidária com outros grupos e redes de solidariedade.


Retornos Solidários - É salutar (como processo pedagógico-organizativo) que se estabeleçam critérios de devolução financeira para o grupo apoiado. O próprio grupo prevê as condições do retorno, que podem ser projetos de atividades associativas econômicas ou não, de trabalho ou serviços.


Cidadania - A destinação a projetos de autonomia dos excluídos não deve substituir recursos públicos. Ao contrário, deve suscitar a consciência de direitos que lhes foram usurpados e animar ações de reconquista de direitos, como justiça.


Sustentabilidade - A autonomia supõe a ideia de sustentabilidade que supõe a capacidade de se auto-organizar em harmonia com o meio ambiente, que inclui as relações entre pessoas e grupos, superando desigualdades. Assim, os projetos devem contemplar o respeito e a promoção do meio ambiente (por uma terra sem males, por uma vida saudável). Também devem favorecer a boa relação entre homens e mulheres, jovens e adultos etc.

Protagonismo - Um projeto local nunca deve deixar de lado a participação dos interessados imediatos, desde sua elaboração. Isso faz parte do processo pedagógico que visa substituir a cultura do “pedinte”, dependente por uma nova cultura de grupo que se organiza. Exige tempo, metodologia de “negociação pedagógica” e formulários adequados.


Mística - Nossa crença é de que “um mundo novo é possível” e nasce aqui e agora com a solidariedade aos excluídos. Celebrar os momentos únicos que tecem, no presente, a rede do amanhã é estar absorvendo a vida, ainda que pequenina, na promessa de vivê-la em abundância, já como quer Jesus. Aspectos de celebrações da vida e nossa mística da solidariedade na justiça e na esperança que se constrói no dia a dia devem fazer parte dos critérios de atuação dos Fundos.


Os projetos solicitados ao FNS (Fundo Nacional da Solidariedade) seguem a mesma dinâmica: O interessado acessa o site da CNBB, no endereço descrito acima e orientada pelo edital, é feita a solicitação.


A Cáritas Arquidiocesana de Uberaba está à disposição para orientar e acompanhar as solicitações tanto para os projetos encaminhados ao FNS quanto ao FAS, assim como no acompanhamento e prestação de contas.


Conheça os projetos contemplados em 2019:


FAS – FUNDO ARQUIDIOCESANO DE SOLIDARIEDADE


1- Comunidade Nova Jerusalém

Projeto: “Acolher com amor e restaurar a dignidade humana”


2- AMAR – Associação dos Amigos dos Animais de Rua de Conceição das Alagoas

Projeto: “Castração dos animais errantes”


3- Associação de Acolhimento ao Idoso Anjos do Bem

Projeto: “Construir para proteger”



4- Paróquia São José – Araxá

Projeto: “Bazar temático”


5- Instituto Senhora da Abadia – Romaria

Projeto: “Acolhimento diurno para a pessoa idosa”


6- Casa de Acolhimento São Pio

Projeto: “Acolhimento: o maior desafio da política nacional da população de rua”


7- Paróquia Sagrada Família – Araxá

Projeto: “Apoio solidário ao projeto implantação do serviço de endoscopia e restruturação do setor de nutrição e dietética da Santa Casa de Misericórdia de Araxá”



FNS – FUNDO NACIONAL DE SOLIDARIEDADE


1- Associação de Acolhimento ao Idoso Anjos do Bem

Projeto: “Construir para proteger 2”


2- Paróquia de Santo Antônio de Pádua

Projeto: Fraldas Solidárias



“A partir do Evangelho, é necessário promover uma cultura de

solidariedade que incentive oportunas iniciativas de apoio aos

pobres e aos marginalizados”

(João Paulo II, Ecclesia in America, 52)


Walter Lúcio Vieira

Cáritas Arquidiocesana de Uberaba

63 visualizações

Posts recentes

Ver tudo