CF 2014 vai debater Tráfico Humano
Contato

Praça Dom Eduardo, 56 - Bairro Mercês - Uberaba - MG

(34) 3312-9565

Redes Sociais
Inscreva-se
Identidade visual para fundo escuro.png

INFORMAÇÕES

Praça Dom Eduardo, nº 56 - Mercês
Uberaba-MG - CEP: 38060-280
Tel: (34) 3312-9565

  • Secretaria / Chancelaria Ramal 1

  • Financeiro Ramal 2

  • Patrimônio Ramal 3

  • Tribunal Eclesiástico Ramal 4

  • Secretaria de Pastoral Ramal 5

curia.arquidiocesedeuberaba@gmail.com

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA ARQUIDIOCESE DE UBERABA

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

  • Segunda a Sexta: 8h às 12h e 14h às 17h.

TVs Católicas

Rede_Vida_logo.png
cnbb-branca-260x80-2.png
vatican-news-header-white.png

Produzido pela pascom arquidiocesena

© 2019 by Arquidiocese de Uberaba

Pública na Rede

CF 2014 vai debater Tráfico Humano

A Arquidiocese de Uberaba lança na quarta-feira de Cinzas, dia 05, a Campanha da Fraternidade 2014 cujo tema é Fraternidade e Tráfico Humano e o lema “È para a liberdade que Cristo nos libertou”.

O lançamento será na missa das sete da noite, na Catedral Metropolitana, presidida pelo arcebispo dom Paulo Mendes Peixoto e concelebrada por monsenhor Valmir Ribeiro. Na oportunidade, durante a procissão de entrada, serão simbolizados diversos tipos de tráfico humano como trabalho escravo e tráfico de órgãos, dentre outros.

Na missa será feita a imposição das cinzas, lembrando a todos nós que do pó viemos e a ele retornaremos.

Segundo dom Paulo Mendes Peixoto a proposta da campanha é de conscientizar as pessoas sobre os vários tipos de tráficos humanos e que eles podem estar acontecendo bem próximos de nós. Cabe a nós, enfatiza ele, denunciá-los, afinal, é para a liberdade que Cristo nos libertou.

O arcebispo complementa que a Arquidiocese publicou nova edição do Caderno Popular, onde através de 21 reuniões os fiéis das 59 paróquias de Uberaba e região irão debater nas casas o tráfico humano, em todas as suas modalidades, sugerir ações e assumir compromissos de libertação.

Cartaz da CF

O cartaz da Campanha da Fraternidade deste ano traz várias mãos, até então acorrentadas, rompendo esta prisão. Conheça melhor o que a figura pretende passar:

1-O cartaz da CF quer refletir a crueldade do tráfico humano. As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente.

2-Essa situação rompe com o projeto de vida na liberdade e na paz e viola a dignidade e os direitos do ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus. A sombra na parte superior do cartaz expressa as violações do tráfico humano, que ferem a fraternidade e a solidariedade, que empobrecem e desumanizam a sociedade.

3-As correntes rompidas e envoltas em luz revigoram a vida sofrida das pessoas dominadas por esse crime e apontam para a esperança de libertação do tráfico humano.

Rubério Santos / Assessor de Imprensa

Uberaba, 28 de fevereiro de 2014

0 visualização