CF2021: O ecumenismo é uma realidade bíblica (Mt, Mc, Lc x Jo)


A Campanha da Fraternidade deste ano, sob a temática ecumênica, traz um importante aspecto do cristianismo: a capacidade de estabelecer diálogo com o diferente. Diálogo que conduz os fiéis à unidade e à paz verdadeira. Quando refleti sobre o tema desta CF, logo me veio à mente a realidade bíblica dos evangelhos. Temos três evangelhos que se assemelham (Mt, Mc e Lc), por isso chamados sinópticos (do grego syn + opticus = mesma visão), e um que se destaca na narrativa e linguagem (Jo). Tais evangelhos são frutos de comunidades de fé. Nenhum texto bíblico foi escrito sem haver uma comunidade concreta e viva que o sustentasse. Por isso, é impossível ler a Bíblia sem a Igreja para interpretá-la corretamente. Tais comunidades tinham pensamentos diferentes; se olharmos os textos sinópticos e o joanino, veremos isso claramente (cf. livro ‘‘A comunidade do discípulo amado’’ do biblista e padre americano Raymond Brown).


A comunidade de João é uma comunidade mais profunda teologicamente, na reflexão sobre a Eucaristia, sobre as lideranças da comunidade (Discípulo Amado x Pedro), ao passo que as comunidades sinópticas têm uma raiz mais aprofundada no judaísmo de sua época, ao contrário da joanina. Enfim, são comunidades diferentes, que produziram textos sagrados diferentes. Contudo, se uniram no final do século I d.C. em uma única comunidade: a Igreja Católica (Universal) ou como era conhecida: a Grande Igreja. As diferenças foram assimiladas e o que havia de comum foi usado em benefício da unidade e da paz entre os cristãos católicos sinópticos e joaninos. Esse processo foi feito com todas as comunidades fundadas por Apóstolos (hoje em comunhão com Roma).

Esse fato serve de exemplo para todos os cristãos de hoje: o diálogo é fundamental se quisermos servir a Cristo verdadeiramente, pois Ele mesmo pregava, curava e não agia com intolerância com o diferente. Pelo contrário, samaritanos não se davam com judeus (Lc 4), mas Jesus, o Messias judeu, veio para salvar a todos mediante adesão voluntária. Relatei o exemplo bíblico, porque é necessário enxergar a realidade das comunidades cristãs, algo que a CF2021 vem propor-nos. Muitas são as comunidades que são diferentes de nossa tradição religiosa católica, nos dias de hoje; contudo, não cabe a nós apenas apontar diferenças, falhas e pecados, mas dialogar com base em nossos pontos comuns.


Isto é a garantia de um futuro autenticamente cristão: assim com as comunidades sinópticas se assimilaram com a comunidade joanina para nos entregar hoje os quatro evangelhos da vida de nosso Salvador, nós podemos e devemos agir com respeito e capacidade de escuta e diálogo para com o outro que também é seguidor do Cristo. Diálogo é a palavra de ouro para qualquer relação humana, ainda mais em nosso meio religioso, que é o local concreto e visível da presença do Altíssimo. Que o Senhor, o Bom Pastor, nos ilumine e nos conduza sempre nos caminhos do diálogo, da compreensão e da misericórdia, para assim alcançarmos a paz e a unidade, sendo um só rebanho.


Seminarista Pablo Borges

Síntese Vocacional

70 visualizações

Posts recentes

Ver tudo