CNBB e Assessoria de Comunicação da CNBB lançam a revista Bote Fé num formato 100% digital

Após 31 edições impressas, a Revista Bote Fé, uma colaboração da Edições CNBB e da Assessoria de Comunicação da entidade, é lançada, neste dia 2 de julho, em uma versão totalmente digital. Segundo o diretor geral e editorial da Edições CNBB, monsenhor Jamil Alves de Souza, trata-se de um projeto piloto que vai se aprimorar ao longo do tempo mas que mantém o mesmo espírito original da Bote Fé ao longo de sua experiência impressa: “ser um veículo de informação qualificada e aprofundada sobre temas importantes para a vida da Igreja no Brasil e, ao mesmo tempo, um canal para divulgar as publicações da editora”.


De acordo com a assessora de Comunicação da CNBB, Manuela Castro, o projeto da revista está em consonância com as mudanças do mundo digital e integra o Plano de Comunicação da CNBB, aprovado pelo Conselho Permanente em 2020, de fazer a transição da comunicação da entidade para o ambiente digital. “Hoje o uso do celular para acessar a internet cresceu no Brasil. Os aparelhos são o principal meio de acesso à rede no país, usados por quase todos os brasileiros”, disse.


A referência é comprovada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – Tecnologia da Informação e Comunicação (PNAD Contínua TIC) 2018, divulgada hoje 29 de abril de 2020, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa apontou que até 2019, três em cada quatro brasileiros tinham acesso à internet e, entre eles, o celular era o equipamento mais usado. Entre 2017 e 2018, o percentual de pessoas de 10 anos ou mais que acessaram a internet pelo celular passou de 97% para 98,1%. O aparelho é usado tanto na área rural, por 97,9% daqueles que acessam a internet, quanto nas cidades, por 98,1%.


Outra pesquisa, a Tic Domicílios 2019, do Comitê Gestor da Internet no Brasil, aponta que 3 em cada 4 brasileiros acessam a internet, o que equivale a 134 milhões de pessoas. Em relação ao dispositivo, os smartphones e outros aparelhos móveis são as ferramentas mais comuns para se conectar (99%), seguidos dos computadores (42%), das TVs (37%) e dos videogames (9%).


Últimas quatro edições impressas da Revista Bote Fé.


Conteúdos da 1ª edição 100% digital


Nesta primeira edição digital da Revista Bote Fé, seguem a história e os relatos de quem perdeu um familiar para a Covid-19 e está superando esse momento de dor com a ajuda das “delicadezas de Deus” e também com a vivência consoladora da fé.


A presença misericordiosa da Igreja em Manaus (AM) junto aos fiéis e ao povo, como caminho para curar a perda dos entes queridos que, de forma tão brusca e breve, estão partindo também ganha destaque na edição. A, ainda, uma entrevista com um dos pioneiros dos estudos e práticas da (bio) Tananatologia no Brasil, o doutor Evaldo Alves D’Assumpção, o que pode ser feito para ajudar as pessoas que perderam algum ente querido a superar a dor do luto. Um abraço, segundo o médico, é o melhor remédio que pode ser oferecido para quem está sentindo a dor do luto.


Projeto e princípios editoriais


Nesta nova fase, a Revista Bote Fé passará por uma transição do formato impresso para um formato 100% digital, a exemplo de outros formatos de revista eletrônica como o TAB Uol. A revista circulará bimensalmente sempre trazendo conteúdos, artigos, resenhas e matérias aprofundadas sobre assuntos importante da vida da Igreja no Brasil


O layout, nesta nova fase, vai dar destaque às imagens e ao visual, na medida em que permitem ao usuário/leitor a possibilidade do toque e movimentos na tela, estimulando a interação com o conteúdo midiático (texto, fotos, áudio, vídeos, animações, infográficos e mapas) proporcionando diversos caminhos na construção de uma narrativa. Sincronização de texto, imagem e som e estruturas de navegação, concepção visual criativa, carregamento de imagens de forma rápida, conteúdos informativos de acordo com a segmentação almejada.


Cada edição terá uma diagramação mais livre, a partir dos elementos visuais e de texto de cada edição, mantendo apenas uma identidade visual mais fixa em seus elementos como logo, cores, fontes, títulos e retrancas.


Quanto ao público alvo, trata-se de uma revista voltada para responder ao interesse religioso, especificamente o segmento católico/cristão brasileiro, a exemplo de revistas que se organizam por outros campos de interesse como o automobilismo e culinária.


A edição pode ser acessada no link: EdiçõesCNBB


Fonte: CNBB

2 visualizações