Consenso e Verdade

A verdade não pode ser fruto de um consenso ocasional, sem reflexão e sem uso da razão. Ela depende muito de argumentos racionais, de valores permanentes e transcendentes, que conduzem à solidez e estabilidade de uma ética social. Tudo pode ser consequência de um diálogo que privilegia a conveniência social, o consenso e a realidade de uma verdade objetiva.


Respeitar a dignidade dos outros significa que existe neles um valor superior, que está acima das coisas materiais, exigindo um tratamento distinto. O ser humano possui uma verdade inalienável e não depende de transformação social. Ninguém tem o direto de negar essa convicção, mas deve usar da inteligência e de uma séria reflexão para reconhecer, nessa realidade, o valor moral de cada pessoa.


No meio dos desencontros, a vida é a arte do encontro, como um poliedro, que tem muitas faces, muitos lados formando uma unidade onde, diz o Papa Francisco, “o todo é superior à parte”. No “todo” existem as diferenças, que envolvem muitas discussões, muita falta de confiança, mas todos podem aprender alguma coisa uns dos outros. Mesmo quem vive na periferia tem riquezas a dar.


A chamada “cultura do encontro” tem uma característica abrangente, formada pelo povo que tem aspirações, entusiasmo, um modo próprio de viver. Nesse meio as pessoas procuram pontos de encontro, criam pontes e projetam algo que envolve e beneficia a todos. É uma cultura que tem solidez e sustentação de paz concreta, porque consegue integrar, lentamente, as realidades diferentes.


Por detrás das inúmeras violências que são praticadas na sociedade hodierna, está outra, isto é, o desprezo pelos atos diferentes que prejudicam os próprios interesses egoístas. O desrespeito para com determinados direitos de outras pessoas em determinado momento da cultura, ocasiona muitas consequências, principalmente a prática da intolerância e da violência.


O individualismo consumista pode ter uma atitude de abuso social e de descarte daqueles que são considerados incômodos. Isso certamente não ajuda na construção de uma sociedade saudável, porque constitui falta de amabilidade, de saber valorizar a quem não está no mesmo nível de vida. Mesmo neste tipo de sociedade é possível uma convivência sadia, de estima e respeito pelo outro.


Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo de Uberaba

41 visualizações
Contato Cúria
Metropolitana

Praça Dom Eduardo, 56 - Bairro Mercês - Uberaba - MG

(34) 3312-9565

Redes Sociais

Facebook

Instagram

Twitter​

Youtube

Inscreva-se

INFORMAÇÕES CÚRIA

Praça Dom Eduardo, nº 56 - Mercês
Uberaba-MG - CEP: 38060-280
Tel: (34) 3312-9565

  • Secretaria / Chancelaria: Ramal 1

  • Financeiro: Ramal 2

  • Patrimônio: Ramal 3

  • Tribunal Eclesiástico: Ramal 4

  • Secretaria de Pastoral: Ramal 5

  • Contábil: Ramal 7

       curia.arquidiocesedeuberaba@gmail.com

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA ARQUIDIOCESE DE UBERABA

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

  • Segunda a Sexta: 8h às 12h e 14h às 17h.

COMISSÃO ARQUIDIOCESANA PARA A PROTEÇÃO DE MENORES E DE PESSOAS VULNERÁVEIS - CAPMPV

TVs Católicas

Produzido pela pascom arquidiocesana

© 2019 by Arquidiocese de Uberaba

Pública na Rede

Minas Gerais - Brasil

  • Facebook da Arquidiocese de Uberaba
  • Instagram da Arquidiocese de Uberaba
  • Twitter da Arquidiocese de Uberaba
  • Youtube da Arquidiocese de Uberaba
  • Spotify ícone social