Escola de Fé e Cidadania

O processo formativo deve fazer parte da ordem do dia das instituições, principalmente na qualificação de seus colaboradores e melhorar o desempenho nas suas atividades. Na Igreja isto não pode ser diferente, porque lidamos com pessoas humanas no caminho da espiritualidade e formação de comunidades fraternas. Nisto está a motivação que nos leva a realizar uma Escola de fé e cidadania.


Ninguém nasce sabendo, mas se forma na trajetória da vida cotidiana. A formação é essencial às lideranças cristãs para consolidar seu papel evangelizador e atingir seus objetivos com bom nível de qualidade. O trabalho formativo das lideranças cristãs supõe muita criatividade, perseverança e determinação. Não é fácil sustentar uma Escola de fé e cidadania numa cultura com desestímulo educacional.


Da parte da CNBB, no Setor das Pastorais Sociais, existe grande esforço para sustentar, na sede da instituição em Brasília, o Curso de Fé e Política, com participação de agentes de todo o Brasil, formando pessoas para exercer, com responsabilidade e fidelidade, cargos públicos na esfera civil. Senão vamos continuar com políticos despreparados e sem visão dos compromissos com o bem comum.


As Escolas de formação social estão espalhadas por todo o Brasil, em muitas das dioceses e arquidioceses, deixando uma contribuição importante na melhora do nível de responsabilidade das nossas lideranças religiosas e políticas. Mas é necessário fazer muito mais para superar tanta prática que revela descompromisso com o bem público e a condução sustentável do nosso povo.


Estamos reorganizando, através do Conselho de Leigos, a “Escola de fé e cidadania” na arquidiocese de Uberaba. Começamos, em tempo de pandemia, realizando três lives formativas em 2020. Para 2021 pretendemos ter encontros presenciais e virtuais, sob a coordenação do Pe. Geraldo Maia. Esperamos ser espaço privilegiado para conhecimento da Doutrina Social da Igreja e de cidadania.


O sucesso da Escola vai depender das lideranças paroquiais, da divulgação nas comunidades e de investimento feito a partir do incentivo dos párocos. Não podemos ficar presos e desanimados por causa de dificuldades, mas assumir com coragem e determinação essa proposta formativa propriamente de evangelização. O espaço está sendo trabalhado com o intuito de ajudar nossas comunidades.


Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo de Uberaba

23 visualizações