Esperança ativa

Esperança ativa

Atualizado: Abr 3

Quem diria que em um determinado tempo o mundo todo estaria em quarentena, provocada por um surto de um vírus tão minúsculo, mas feroz e capaz de mudar um cenário de história. É sinal de que o ser humano tem um perfil de impotência e não é dono de si mesmo. Pelo menos as pessoas têm a possibilidade de construir uma esperança ativa, de fé e de compromisso com a vida.


O medo, retrato do condicionamento humano, pode ser superado através da confiança em Deus, porque Ele é o autor da vida e aquele que pode provocar a chamada esperança ativa, de saída da imobilidade e do comodismo. A fragilidade da pessoa não significa incapacidade para construir perspectivas novas, mas é preciso agir e usar todos os meios de autodefesa, como o tempo de quarentena.


Ao chegar a Semana Santa, na evidência da paixão e morte de Cristo na cruz, toda humanidade experimenta um verdadeiro caminho de sofrimento vendo a morte de tantos entes queridos, infectados pelo coronavírus. Mais do que nunca, a realidade conduz as pessoas a olhar com confiança para a cruz do Senhor. Só ali é possível encontrar forças para enfrentar essa situação de pandemia.


O projeto de Jesus nasce no meio do sofrimento e das crises de seu tempo. Não será também diferente com o mundo e com todos os países enfrentando a fatalidade do covid-19? Todo sofrimento projeta para situações novas exigindo maior responsabilidade. Essa pandemia não está acontecendo por acaso. Devemos descobrir o que está cobrando do mundo, principalmente em relação à vida humana.


Ninguém pode “lavar as mãos” como o fez Pilatos. Ele não defendeu a vida de Jesus e jogou as responsabilidades do julgamento para o povo. Isso não passou de uma tática política em seu próprio benefício. A pena máxima romana tinha uma conotação política e o governador Pilatos não queria ficar mal visto pelo povo. Essa prática continua muito ativa entre diversos dos nossos governantes.


Falar de esperança ativa é olhar para a vida de Jesus, não simplesmente para as suas ideias e palavras, mas para as atitudes provocadoras de mudança de vida que Ele projetava. Para o Império Romano, Jesus era tumultuador da ordem. Ele não concordava com os instrumentos causadores de desrespeito para com o ser humano e de morte. Por isso tentavam de todo jeito neutralizar suas ações.


Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo de Uberaba

Contato

Praça Dom Eduardo, 56 - Bairro Mercês - Uberaba - MG

(34) 3312-9565

Redes Sociais

Facebook

Instagram

Twitter​

Youtube

Inscreva-se
Identidade visual para fundo escuro.png

INFORMAÇÕES

Praça Dom Eduardo, nº 56 - Mercês
Uberaba-MG - CEP: 38060-280
Tel: (34) 3312-9565

  • Secretaria / Chancelaria Ramal 1

  • Financeiro Ramal 2

  • Patrimônio Ramal 3

  • Tribunal Eclesiástico Ramal 4

  • Secretaria de Pastoral Ramal 5

curia.arquidiocesedeuberaba@gmail.com

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA ARQUIDIOCESE DE UBERABA

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

  • Segunda a Sexta: 8h às 12h e 14h às 17h.

TVs Católicas

Rede_Vida_logo.png
cnbb-branca-260x80-2.png
vatican-news-header-white.png

Produzido pela pascom arquidiocesana

© 2019 by Arquidiocese de Uberaba

Pública na Rede