Festa de Santa Teresinha


"Pequeno Caminho” rumo à santidade, mesmo em tempos difíceis!

Foi o que tentamos viver nesta Festa sem parte social, mas com celebrações participativas, vibrantes, com homilias recheadas de reflexões!

Santa Teresinha percebeu que, ao amarmos, estamos revelando Deus à humanidade. Ela, como muitos santos, entendeu e viveu plenamente o versículo da carta de São João que afirma que Deus é amor! Percebeu ainda que nós, criaturas humanas, criadas à imagem e semelhança de Deus, somos os canais desse Deus no mundo, a maneira Dele manifestar-se das mais diversas formas: na confiança, na esperança, na oração, na misericórdia, na fé, no sofrimento, na caridade, no amor e na gratidão!


Gratidão, virtude mais divina do que humana, porque nos coloca bem junto da bondade e da grandeza de Deus, foi marca dominante na vida de Santa Teresinha e ficou gravada em seus escritos, como ponto de referência para os seguidores do “Pequeno Caminho”.

É por isso que, com muita gratidão, agradecemos a todos: fiéis, devotos, festeiros, patrocinadores, colaboradores, equipes, pastorais, PASCOM, Cerimoniários e Monsenhor Célio terem proporcionado uma grande festa! VIVA SANTA TERESINHA!

E para não esquecermos jamais: Santidade não é um privilégio de poucos, mas, sim, uma meta a ser alcançada por todos nós, filhos e filhas de Deus!

No início de sua caminhada, Teresinha ainda pensava que a santidade devesse ser fruto de seu próprio esforço. Aos poucos, porém, através de muito sofrimento, foi descobrindo que é Deus, Ele mesmo, em sua infinita bondade e misericórdia, que nos acolhe e nos salva. Assim, no fim de sua vida, ela se encontrou de mãos vazias! Esvaziou-se e entregou-se. Foi doando-se sem se preocupar com sua própria salvação. Não cumulou méritos nem sabedoria. Não quis crescer para o alto. Ela dizia: “É descendo que se sobe! E diminuindo que se cresce!”




8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo