Formação sobre as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil será realizada no dia

Sob assessoria do arcebispo metropolitano de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto, será realizado no Centro Pastoral João Paulo II, no dia 3 de julho, às 19h30, momento formativo sobre as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) para o quadriênio 2019 – 2023.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), por meio da Edições CNBB, publicou recentemente as Diretrizes, que integra a série de Documentos da CNBB sob o nº 109. Trata-se do principal documento que o episcopado brasileiro aprovou durante a sua 57ª Assembleia Geral, realizada em Aparecida (SP), de 1º a 10 de maio.

A Arquidiocese de Uberaba, por meio da coordenação de Pastoral, convida os padres e agentes de pastoral para este importante encontro formativo:


Compartilhe!


Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (2019 – 2023)

Entre os dias 1° a 10 de maio, aconteceu em Aparecida – SP, a 57ª Assembleia Geral Ordinária da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Nesse período foram aprovadas pelo episcopado as Novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora para o quadriênio (2019 – 2023). A aprovação desse documento exigiu um intenso debruçar-se dos bispos sobre o caminho que as novas diretrizes propõem à Igreja no Brasil.

Sabemos dos desafios enfrentados pela Igreja ao longo dos tempos, mas conseguimos contemplar com insistência o chamado de retorno às fontes para olhar a experiencia das comunidades primitivas e buscar um grande impulso evangelizador para formar, na realidade urbana em que vivemos, comunidades eclesiais missionárias. É necessário que nossas comunidades assumam um aspecto de acolhimento, de convivência familiar, que tenham um estilo de casa, onde se vivencie o amor, a amizade, a ternura e o perdão.

Essa casa deve ser sustentada por quatro pilares:

  1. Palavra de Deus e a iniciação à vida cristã;

  2. Pão, que é a casa sustentada pela liturgia e espiritualidade;

  3. Caridade, que é a casa sustentada pela fraternidade;

  4. Missão, pois se torna impossível uma comunidade que não seja missionaria.

Diante do exposto, notamos que a realidade urbana está fragmentada, carregada de luzes e sombras, mas é nesse espaço que a Igreja é convocada a ser presença, tal qual uma casa.

Que todos possamos nos comprometer com as novas diretrizes, nos tornarmos luzeiros no meio do mundo, como escolas de santidade. Inseridos no espírito da Laudato Si, numa perspectiva ambiental, busquemos juntos vivenciar o anúncio do Evangelho de Jesus Cristo.

Mons. Celio Pereira Lima Coordenador Arquidiocesano de Pastoral

4 visualizações