Por fora ou por dentro?

Atualizado: Set 8


Olá!

Escrevi este breve texto no dia em que a Igreja nos convidava a celebrar as vocações leigas, como parte das celebrações do mês vocacional (agosto).

A palavra “leigo” tem origem grega, significando “aquele que é do povo”, que tem sua vida voltada para as coisas mundanas (do mundo, da terra), em oposição àquele que vive para as coisas sagradas (do alto, do céu). No catolicismo, grosso modo, refere-se àquele que participa da vida da Igreja sem ser clérigo, ou seja, não é diácono, presbítero (padre) ou bispo.

Durante muitos séculos da era cristã, o acesso ao conhecimento e às escolas era privilégio da nobreza e do clero. Nesse período, foram poucos os leigos integrados ao magistério da Igreja. Talvez daí venha o sentido figurado que passou a ter a palavra leigo, referindo-se a quem não tem conhecimento de determinado assunto, que “está por fora”.

Ao longo da história, os leigos ampliaram o conhecimento e a participação nas atividades pastorais da Igreja, especialmente a partir do Concílio Vaticano II.


Na paróquia de minha afinidade, sou agente da pastoral da catequese para o batismo, auxiliando na preparação de pais e padrinhos, bem como na celebração desse sacramento. Coincidentemente, hoje celebramos um batizado. E em certo momento do rito foi dito que, pelo batismo, nos tornamos sacerdotes... Como assim? Então não somos leigos? Calma, eu explico.

No sentido amplo da palavra, sacerdote é aquele ou aquela que torna algo sagrado, dedicado a Deus. Pelo batismo, dentre outros efeitos, participamos do ministério sacerdotal de Jesus, ou seja, somos todos chamados a dedicar a própria vida a Deus, tornando-a sagrada e reconhecendo que a recebemos dele, como um dom. E fazemos isso através de nossas ações cotidianas, seja na família, na escola, no trabalho e até na Igreja, contribuindo também para a consagração da vida daqueles com quem convivemos. Este é o chamado sacerdócio comum – porque é para todos os batizados. Mas alguns são chamados a exercer esse sacerdócio de um modo especial, de certa forma exclusivo. Para tanto, são ordenados, ou seja, recebem o sacramento da Ordem, para seguir realizando o que Jesus ordenou aos apóstolos: “Portanto, vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que ordenei a vocês” (Mt 28,19-20).


Enfim, para nós, seguidores de Cristo, leigo não é aquele que está por fora, mas aquele que está por dentro, dentro da Igreja, dentro da missão de evangelizar, de tornar sagradas sua vida e a de seu próximo, conforme compromisso assumido perante Deus por nossos pais, no sacramento do Batismo, e confirmados por nós, no sacramento da Crisma.

E você: é um leigo “por fora” ou “por dentro”?


Luiz Villela

“in viam pacis”

12 visualizações