Reflexão do Evangelho - 19 de maio de 2021

Evangelho (João 17,11-19)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vossa palavra é a verdade; santificai-nos na verdade! (Jo 17,17)


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

Naquele tempo, Jesus ergue os olhos para o céu e rezou, dizendo 17 11 "Já não estou no mundo, mas eles estão ainda no mundo; eu, porém, vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me encarregaste de fazer conhecer, a fim de que sejam um como nós. 12 Enquanto eu estava com eles, eu os guardava em teu nome, que me incumbiste de fazer conhecido. Conservei os que me deste, e nenhum deles se perdeu, exceto o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura.

13 Mas, agora, vou para junto de ti. Dirijo-te esta oração enquanto estou no mundo para que eles tenham a plenitude da minha alegria.

14 Dei-lhes a tua palavra, mas o mundo os odeia, porque eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo.

15 Não peço que os tires do mundo, mas sim que os preserves do mal.

16 Eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo.

17 Santifica-os pela verdade. A tua palavra é a verdade.

18 Como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo.

19 Santifico-me por eles para que também eles sejam santificados pela verdade".

Palavra da Salvação.

Glória a Vós, Senhor!


"Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros". Jo 13, 34


Reflexão sobre o Evangelho:(19/05/2021 João 17,11b-19)

Jesus continua orando pelos seus discípulos. Jesus se dirige ao Pai. Nesta oração mostra sua preocupação pelos discípulos que ficam no mundo e que terão um futuro difícil como foi a própria vida do Mestre. A presença de Jesus os guardou do mal. Diante da incerteza do que estava por vir, Jesus expressa três desejos, preocupações: a unidade, a alegria e a verdade. A unidade que Jesus deseja é a mesma que existe entre Ele e o Pai: o amor. A alegria é o estilo de vida que Ele trouxe. Todo aquele que encontrou o Senhor possui a mesma alegria que Ele viveu. A verdade é Ele mesmo e não aceita mentiras ou relativização no seguimento. Precisamos avaliar se estes três desejos de Jesus seguem vivos em nós e se não estiverem precisamos revivê-los para que o mundo creia. Assumamos a unidade, a alegria e a verdade como norma de vida, identificação com Cristo.

Deus abençoe e um bom dia pra você! #ParoquiaMissionaria #CatolicoOrante


Muito precisa exegese! Põe em relevância a condição essencial para que a unidade aconteça, a verdade prevaleça e a alegria seja o seu fruto, o fruto da união fundada na verdade que é Jesus. Se Jesus é um com o Pai e Deus é amor, a verdade é o amor e viver a verdade, é amar. Logo, a unidade só é possível se nos amarmos como Jesus recomenda. Disso se depreende que o essencial para prevalência da verdade e da unidade cristã é o amor manifesto, que se denomina compaixão. Onde tem compaixão não tem excluídos, não se impõe sofrimento, ninguém se julga capaz de julgar, mas se sente na obrigação de compreender as limitações alheias e de perdoar, e muito menos se sente no direito de tirar a vida de quem quer que seja por retirar a sua condição de sobrevivência entre irmãos. Onde tem compaixão e a verdade realmente prevalece, a unidade se estabelece porque cada um assume o dever de lutar por vida digna para todos. Essa é a alegria que ninguém pode nos tirar. A alegria de sermos um com Jesus porque nos irmanamos apesar de todas as nossas dificuldades e imperfeições. Porque prosseguimos orando e buscando nos auxiliar mutuamente. Graças à Deus!

Rita De Blasiis Uberaba, 19 de maio de 2021

21 visualizações