Segunda Epístola de Pedro


Continuando nossa caminhada, podemos perceber que a Segunda Epístola de Pedro (2Pd) contém a doutrina dos “lugares teológicos”, ou seja, onde ir buscar a doutrina autêntica e como encontrar nela respostas adaptadas às necessidades do tempo. O que interessa à epístola é a relação entre a palavra dos profetas e a revelação de Jesus Cristo (2Pd 1,19s), que é visto como o centro da Escritura. A 2Pd com firmeza insere a verdade sobre a divindade de Cristo, ao qual ela atribui o título de THEÓS (Deus – em 2Pd 1,1). Ele é ao mesmo tempo o Mestre da doutrina, que ensina a “via da justiça” (2Pd 2,21) e é o Salvador. Um dos temas latentes da epístola é: para ser salvo, é necessário empenhar-se fielmente na doutrina da verdade.

O tema do combate às heresias e exegeses perniciosas é claro quando o autor submete a leitura dos textos sacros àquilo que os padres do século II chamaram de a “regra da verdade”. Em outras palavras, a 2Pd revela um tempo onde já se punha em questão o problema da verdadeira interpretação da Sagrada Escritura.

A epístola procura estimular os desencorajados e denuncia com veemência as doutrinas estranhas à fé. Ao mesmo tempo que anuncia a catástrofe final do mundo, ensina e estimula a paciência e a perseverança, bem como orienta o senso da vida sob o julgamento de Deus, no progresso da fé na graça de Cristo. Defende o essencial da fé e insiste na Palavra de Deus, referindo-se às verdades contidas nas Cartas de Paulo.


Estrutura e composição:

O texto difere da Primeira Epístola de Pedro (1Pd) quanto à introdução e conclusão, pois enquanto a introdução possui os elementos epistolares, embora não designe quem seriam os destinatários com clareza (2Pd 1,1-2), a conclusão carece de qualquer despedida a não ser a exortação de perseverarem no caminho da vida, não se deixarem enganar pelos ímpios e crescerem na graça e no conhecimento de Jesus Cristo. A conclusão verdadeira de 2Pd é uma doxologia sobre o Salvador Jesus Cristo: “A ele seja a glória agora e até o dia da eternidade! Amém.” (2Pd 3,18b). As demais partes dos três capítulos não possuem uma estruturação específica em blocos; entretanto, segundo os capítulos é possível apresentar uma forma de estrutura da 2Pd:


Endereço e saudação (1,1-2)

I – A vocação cristã (1,3-11)

a) Somos participantes da natureza divina (v.4)

b) Sobre as virtudes (vv. 5-7)

c) A mística da 2Pd (vv.7-11)


II – A norma da verdade (1,12-21)

a) Denúncia dos falsos doutores; apresentação da “tradição apostólica” (1,12-16)

b) A transfiguração de Cristo (1,17-18)

c) Testemunho e interpretação da Escritura (1,19-21)


III – A denúncia dos falsos doutores e a iminência dos castigos (2,1-22)

a) Os falsos doutores (2,1-9)

b) A falsa liberdade e o castigo vindouro (2,10-22)


IV – O dia do Senhor virá (3,1-18b)

a) A tradição das profecias do AT e NT (3,1-2)

b) O combate herético contra o Dia do Senhor (3,3-7)

c) O tempo de Deus quanto à Parusia (3,8-10)

d) O novo apelo à santidade e o ensinamento autêntico de Paulo (3,11-16)

e) Exortações finais (3,17-18a)


Conclusão doxológica (3,18b)


Apreciação:

A epístola deseja oferecer aos irmãos uma recordação da excelsa vocação cristã, junto com uma exortação: que todos possam viver de acordo com as exigências e características cristãs. Assim, os cristãos serão encontrados dignos do Reino quando o Senhor vier. Nesta linha, o texto previne os cristãos contra os falsos mestres, os cristãos heréticos ou apóstatas que já conseguiram extraviar muitos dos fiéis com suas doutrinas estranhas à fé.

Esta epístola ilumina a realidade atual dos cristãos, muitas vezes desanimados e sem esperança. Ela denuncia tudo aquilo que é contrário às verdades da fé. O mundo moderno está repleto de teorias e falsas concepções que não correspondem às verdades cristãs. Hoje, os cristãos são ainda convocados a manterem-se firmes e perseverantes na fé, sem se deixarem desanimar pelas adversidades, mas sentindo a graça de pertencerem a Cristo e de contarem com a presença do Senhor sempre constante, eterna e atuante junto a suas comunidades.


Em nosso próximo artigo, concluiremos com a reflexão teológica sobre os elementos doutrinais da 2 Pedro e a comparação entre esta epístola e a de Judas.


Padre Marcelo Lázaro

6 visualizações