Setembro, mês da Bíblia

A Palavra de Deus deve estar cotidianamente presente na vida dos cristãos. A bíblia é a fonte dessa Palavra, evidenciada com destaque no mês de setembro através de algum tema sugestivo para reflexão. Neste ano de 2021 o destaque é dado ao Livro de São Paulo aos Gálatas, com o lema, “pois todos vós sois um só, em Cristo Jesus” (Gl 3,28), um convite para a prática da unidade comunitária.


Através de sua Palavra, Deus injeta esperança na vida do povo, provoca coragem e ânimo nos ouvintes e exercício fecundo da liberdade cristã. Palavra com exigência de ser ouvida e transmitida, tirando as pessoas da surdez para assumir as propostas do Reino de Deus. Palavra que abre caminho de vida e dignidade, porque nela está a intervenção de Deus na vida daqueles que o acolhem.


A vida cristã se sustenta e consegue resistir às influências do secularismo hodierno com a força da Palavra de Deus. Ela ajuda no desmonte dos instrumentos que têm desvirtuado as bases da fé. Consegue também abrir caminho seguro de confiança e restauração de forças para o indivíduo agir. Muitas deficiências na vida podem ser sanadas e libertar as pessoas com o apoio da Palavra bíblica.


A bíblia não é uma coleção de livros literários. Aliás, muito mais do que isto, porque é fruto de práticas comunitárias com marcas históricas milenares e reconhecidas como de inspiração divina com a contribuição dos limites de seus escritores. A Palavra de Deus articula fé e vida, porque une a ação de Deus e a prática de vida das pessoas. Exige o exercício da justiça e do amor para dar dignidade às pessoas.


Uma das características da Palavra divina é a imparcialidade na opção pela vida das pessoas. Não há ali favorecimento para esta ou aquela pessoa, a não ser a opção pelo mais sofrido da sociedade. Apesar de amar a todos indistintamente, há uma preferência de Deus pelos pobres (Tg 2,5), porque muitas vezes eles estão assim porque foram explorados e desvalorizados na sua incapacidade de ação.


Outra tônica da Palavra é o cuidado e o zelo para com o ser humano, tratado como obra-prima da criação. Cada pessoa é vista a partir de suas reais necessidades. Assim fez Jesus em relação aos doentes, aos surdos, mudos, coxos, devolvendo a eles sua dignidade. Assim, a Palavra de Deus, com destaque em setembro, deve abrir o nosso coração e nos deixar transformar por ela todo dia.


Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo de Uberaba

25 visualizações