Tendo Jesus...

Atualizado: Fev 16


Olá!

Outro dia recebi, através de uma rede social, um vídeo “delicioso”. Era uma prosa interpretada por uma atriz mineira, Cida Mendes, cuja personagem contava a lembrança que tinha de sua mãe toda vez que ela “estreava” um queijo e dizia: “Teno queijo...” – que quer dizer “Tendo queijo...”, em mineirês. A expressão queria significar que tudo fica bom quando se tem um queijo na mesa.

A prosa me inspirou a refletir sobre a importância de crer na presença de Jesus, em qualquer circunstância, por pior que seja.

Ano passado, não pudemos celebrar de modo costumeiro a Páscoa de Jesus, o acontecimento mais importante de todos os tempos para nós, católicos. Agora, estamos prestes a vivenciar uma Quaresma que poderá exigir sacrifícios mais intensos que aqueles próprios desse tempo litúrgico.

Apesar do início da vacinação trazer a expectativa da volta à “normalidade”, a segunda (ou terceira) onda da pandemia é uma realidade que avança no sentido contrário. É como se uma nuvem escura se aproximasse, prenunciando uma nova tempestade (talvez ainda mais forte).


É nessas horas que nossa fé é posta à prova.

Durante o período em que nossas igrejas permaneceram fisicamente fechadas e fomos privados de receber Jesus na eucaristia, muito aprendemos. Por exemplo, meros usuários de redes sociais de repente se viram – como eu – na posição de “técnicos” na produção e transmissão de conteúdo digital, visando manter as comunidades celebrantes, ainda que virtualmente. Missas, encontros de formação, momentos de oração comunitária, reuniões de pastorais, edição de informativos... tantas coisas tivemos que adaptar e, assim, conseguimos “caminhar sobre as ondas”. Conseguimos porque Jesus permaneceu conosco, não como estávamos acostumados, mas permaneceu.

Daí é que me veio à mente: “Tendo Jesus...”. Sim, tendo Jesus a nosso lado podemos superar toda dificuldade, toda pandemia. É claro que podemos fraquejar, ter medo, sentir alguma dor, mas tendo Jesus... Rezemos mais e mais para que esse cálice se afaste de nós, mas, seja como for, tendo Jesus...

Caso queira assistir ao vídeo que inspirou esta breve reflexão, ele está disponível em: www.youtube.com/watch?v=HUGZ_8SMvak .


Luiz Villela

“in viam pacis”

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo